Ouça a Rádio Verdes Florestas

/
/
Pastoral Rural

Pastoral Rural

Compartilhar:

O que é CPT?

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) é uma pastoral social a serviço dos trabalhadores e trabalhadoras do campo, das águas e das florestas no Brasil. Os homens e as mulheres são protagonistas de sua própria história e a CPT apoia a sua organização na luta pela terra e na terra, para que nela possam viver com dignidade.

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) nasceu em junho de 1975, durante o Encontro de Bispos e Prelados da Amazônia, convocado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), realizado em Goiânia (GO). Foi fundada em plena ditadura militar, como resposta à grave situação vivida pelos trabalhadores rurais, posseiros e peões, sobretudo na Amazônia, explorados em seu trabalho, submetidos a condições análogas ao trabalho escravo e expulsos das terras que ocupavam.

O vínculo com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) ajudou a CPT a realizar o seu trabalho e a se manter no período em que a repressão atingia agentes de pastoral e lideranças populares. Logo, porém, adquiriu caráter ecumênico, tanto no sentido dos trabalhadores que eram apoiados, quanto na incorporação de agentes de outras igrejas cristãs, destacadamente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil – IECLB.

Nossa Missão:

Convocada pela memória subversiva do evangelho da vida e da esperança, à terra de Deus e aos pobres da Terra, ouvindo o clamor que vem dos campos e florestas, seguindo a prática de Jesus.

A CPT quer ser uma presença solidária, profética, ecumênica, fraterna e afetiva, que presta um serviço educativo e transformador junto aos povos da terra e das águas, para estimular e reforçar seu protagonismo.

A CPT reafirma seu caráter pastoral e retoma, com novo vigor, o trabalho de base junto aos povos da terra e das águas, como convivência, promoção, apoio, acompanhamento e assessoria:

  1. nos seus processos coletivos: de conquista dos direitos e da terra, de resistência na terra, de produção sustentável (familiar, ecológica, apropriada às diversidades regionais);
  2. nos seus processos de formação integral e permanente: a partir das experiências e no esforço de sistematizá-las; com forte acento nas motivações e valores, na mística e espiritualidade;
  3. na divulgação de suas vitórias e no combate das injustiças; sempre contribuindo para articular as iniciativas dos povos da terra e das águas e buscando envolver toda a comunidade cristã e a sociedade, na luta pela terra e na terra; no rumo da “terra sem males”.

 

O trabalho da Comissão Pastoral da Terra abrange todo o território nacional e é realizado com autonomia. Está organizada em 21 regionais. Cada regional tem uma coordenação, eleita em Assembleia, de acordo com o regimento interno e um Conselho.

A equipe local denominada Pastoral Rural, é uma célula básica da organização e do trabalho da CPT, por ser presença constante na vida dos trabalhadores e trabalhadoras do campo. Elas acompanham os diversos comunidades e grupos de trabalhadores rurais e ribeirinhos, apoiando sua organização. A maior parte das equipes é formada por agentes voluntários.

Diversas equipes estão diretamente vinculadas às regionais da CPT, outras são equipes diocesanas, ligadas às pastorais das Dioceses. Todas, igualmente, fazem parte do corpo da CPT.

CPT de Cruzeiro do Sul (AC):

Pastoral Rural da diocese de Cruzeiro do Sul, foi criada no ano de 1994, fruto de uma articulação feita pelo Padre João Rosche, após experiências de exploração grilagem de terra sofridas por posseiros moradores de antigos seringais.

Desde sua fundação atuamos em duas linhas de ações: a LUTA PELA TERRA e a LUTA NA TERRA.

Desenvolvemos nossos trabalhos junto as comunidades acompanhadas nos mais diversos locais do Juruá.

Atualmente acompanhamos 10 Comunidades Rurais e Ribeirinhas.

Juntas a elas atuamos com cursos e formações dos mais variados temas que agregue a sua realidade.

Seminários, oficinas, cursos de formação e reuniões de intercâmbio sobre:

  • Organização comunitária;
  • Associativismo e cooperativismo;
  • Políticas públicas;
  • Reforma agrária;
  • Direitos da terra;
  • Direitos humanos;
  • Formação para mulheres;
  • Formação para jovens;
  • Formação para lideranças sobre direitos e obrigações dos/das cidadãos/ãs (previdenciário, questões fundiárias e territoriais, posse, usucapião e terras sem destinação).
  • Agroecologia;
  • Defensivos agrícolas;
  • Diversificação de plantações;
  • “Bem viver”;
  • Produção e comercialização;
  • Remédios naturais;
  • Nutrição saudável e
  • Educação ambiental;

Acompanhamos comunidades em conflito agrário com apoio jurídico e mediação desses conflitos.

Coordenação Diocesana: Karen Lima

Endereço

Travessa Mário Lobão, N° 111 – Centro, Cruzeiro do Sul (AC)
Galeria dos Padres, sala 204
E-mail: [email protected]