Ouça a Rádio Verdes Florestas

/
/
IRMÃS FRANCISCANAS DO MÁRTIR SÃO JORGE

IRMÃS FRANCISCANAS DO MÁRTIR SÃO JORGE

Compartilhar:

“Tornando o Amor Misericordioso de Deus visível no mundo desde 1869.
Da Alemanha onde tudo começou, a nossa Congregação se espalhou pelo mundo inteiro. Hoje estamos em 11 países em 4 continentes.
Deus nos deu a missão de tornar visível o Amor Misericordioso que jorra
do coração transpassadodo nosso Senhor”.

Onde tudo começou

Madre M. Anselma.

Um vilarejo pobre… uma casa abandonada… O sonho de um pároco idoso de ter irmãs para cuidar dos órfãos e doentes. Duas Irmãs da Santa Cruz receberam esta missão. Em 1857 partiram de Estrasburgo para o pequeno vilarejo de Thuine no norte da Alemanha. Houve muitos desafios, mas a mão de Deus guiou tudo.

Em 1869 os sinais dos tempos manifestaram a necessidade de separar da Congregação de origem em Estrasburgo e fundar uma nova congregação. Animada pelo Espírito de Cristo, a fundadora, Madre M. Anselma, se colocou totalmente à disposição da vontade de Deus.  Assim iniciou, naquele pequeno vilarejo no norte da Alemanha, a Congregação das Irmãs Franciscanas do Mártir São Jorge. Da Alemanha, onde tudo começou, a nova congregação se espalhou pelo mundo inteiro.

A espiritualidade desta comunidade Franciscana centrou-se no Sagrado Coração de Jesus com a missão de estar simplesmente pronta em obediência a chamada de Deus. Tentando corresponder, numa obediência generosa, ao apelo de Deus, que se manifesta nas exigências do tempo, servindo a Cristo na própria comunidade, nas crianças, nos jovens, nos idosos, doentes, pobres, e necessitados de qualquer condição.

Tocada pelo amor de Cristo Crucificado e inspirada pelo testemunho alegre de São Francisco de Assis, Madre M. Anselma fundou as Irmãs Franciscanas do Mártir São Jorge naquele pequeno vilarejo no norte da Alemanha.

 Na Amazonia

Envio da Irmã Maria da Paz e Irmã M. Henrietta – saindo da capela da Casa Provincial.

Tudo começou muito simples!

O desejo de duas Irmãs de corresponder ao apelo do Papa Paulo VI que indicou que “Cristo aponta para a Amazonia” …. E um Bispo que, vendo a necessidade do povo, foi até a Alemanha e os Estados Unidos a procura de Irmãs para sua diocese…

Com um simples desejo de servir duas Irmãs partiram dos Estados Unidos para uma pequena cidade num país distante, não no norte da Alemanha como a Madre M. Anselma, fundadora de sua congregação, mas no coração da Amazônia. Assim aconteceu que, em fevereiro de 1972, a pedido de Dom Henrique Ruth então Bispo da Prelazia do Alto Juruá, atual diocese de Cruzeiro do Sul, Acre, duas Irmãs chegaram dos Estados Unidos para iniciar uma nova missão na Amazônia.

Chegada das primeiras missionárias – Irmã Maria da Paz e Irmã M. Henrietta – juntas com 2 voluntárias dos EUA.

No dia 14 de fevereiro de 1972 com a chegada da Irmã Maria da Paz e Irmã M. Henrietta em Cruzeiro do Sul, iniciou-se a missão das Irmãs Franciscanas no Brasil. Logo no primeiro ano chegaram mais duas Irmãs da Alemanha para somar na missão: Irmã M. Hilda e Irmã M. Manuela.

No espírito de São Francisco, empreenderam-se em conhecer a vontade de Deus pelos sinais dos tempos e no seu serviço aos outros. A exemplo da fundadora, elas se esforçaram em tornar o amor misericordioso de Deus visível para todos que encontravam. Por isso, nos primeiros anos trabalharam no ambulatório no Morro da Glória, na Colônia dos Hansenianos, em serviços sociais no bairro da várzea, em serviços pastorais ao longo dos rios, e na evangelização em Cruzeiro do Sul.

Três anos depois, em março de 1975 as Irmãs Theresa-Maria e M. Inês, chegaram da Alemanha, todas duas cheias de vontade de trabalhar e tornar o Amor Misericordioso de Cristo visível no seu serviço: a Irmã M. Inês como enfermeira e a Irmã Theresa-Maria como professora.

As primeiras seis missionárias: Irmã Maria da Paz, Irmã M. Henrietta, Irmã M. Manuela, Irmã M. Hilda, Irmã Theresa Maria, e Irmã M. Inês.

A moradia das Irmãs ficou acima do ambulatório Gema Galgani no Morro da Glória, lugar sagrado por ter tido a primeira catedral Nossa Senhora da Glória feita de madeira. Naquele tempo moravam no Morro da Glória os Espiritanos, no prédio central, e os Marista, no seminário (atual Escola São José). Mais tarde os padres Espiritanos ofereceram a sua residência para elas porque queriam construir uma nova sede com seminário no bairro da Várzea. Os Maristas também construíram uma casa. Ficaram as Irmãs Franciscanas ocupando o Morro da Glória.

Sendo já seis Irmãs podiam atender ao convite do Pe. Antônio Cremer em Eirunepé (AM) para ajudar nas escolas e no hospital de lá. Com a ida de Irmã M. Hilda e Irmã M. Inês para lá em outubro de 1975, foi iniciada a segunda comunidade aqui no Brasil. A Irmã M. Hilda logo começou a dar aulas e catequese formando muitos futuros líderes da paróquia e das comunidades ao longo do rio. A Irmã M. Inês começou o trabalho no hospital cuidando de doentes e pobres. Nos primeiros anos os Padres faziam muitas desobrigas sempre levando as Irmãs para ajudar na catequese e na consulta dos doentes. Com o decorrer dos tempos muitas Irmãs passaram por Eirunepé dando uma valiosa ajuda para tornar Jesus mais conhecido.  No mesmo ano duas jovens manifestaram o desejo de ingressar na Congregação e no dia 2 de fevereiro 1976 iniciaram o caminho da formação até fazer os primeiros votos em 1979. A pequena missão agora contava com 9 Irmãs professas, 3 noviças, 3 postulantes e 8 aspirantes.

Irmã Theresa Maria, Irmã M. Henrietta, Irmã M. Inês, Irmã M. Manuela, Irmã M. Hilda, e Irmã Maria da Paz.

 

As Irmãs tentam corresponder, numa obediência generosa, ao apelo de Deus, que se manifesta nas exigências do tempo, portanto, no ano de 1979 assumiram o trabalho com os idosos nos Vicentinos em Cruzeiro do Sul para dar apoio e ajuda a idosos que não tem ninguém que possa ou queira cuidar deles. A maioria era deficiente, cega ou paralítica. Aqui muitas Irmãs aprenderam e ajudaram cuidar dos idosos e se dedicaram ao máximo para criar um ambiente acolhedor e sadio.

Nos Estados Unidos tinham duas Irmãs, uma formada em medicina e outra em enfermagem que se ofereceram para o trabalho na missão. A Irmã M. Joana chegou em 1977 e a Irmã M. Stephanie em 1979. Em Ipixuna o Pe. Agostinho pediu a Congregação de enviar Irmãs para ajudar no hospital, nas escolas e sobretudo na catequese e educação cristã. Assim foi que em 1980 as duas americanas iniciaram uma nova comunidade em Ipixuna. A missão das Irmãs em Ipixuna terminou no fim do ano 2012.

Irmã M. Manuela no ambulatório Santa Gemma Galgani.

Em 26 de fevereiro 1981 foi aberta uma nova comunidade na Várzea de Cruzeiro do Sul – Casa Santo Antônio. Neste mesmo ano chega uma Irmã da Alemanha (Irmã M. Ancilla).  As Irmãs se empenharam no Jardim de Infância, e no trabalho pastoral. Esta casa fechou em 1987. Em 03 de fevereiro 1982 teve início os trabalhos no Seminário Menor Nossa Senhora da Glória. Em 13 fevereiro 1984 quatro Irmãs assumem o trabalho no Leprosário e na escola para os filhos dos hansenianos – Casa Nossa Senhora das Graças. No mesmo ano começaram a acompanhar grupos de Alcoólatras anônimos. Neste mesmo ano chega uma Irmã dos Estados unidos, ela é natural das Filipinas (Irmã M. Bernadette Dilao). Também neste ano a antiga “casa mãe” dos Espiritanos foi entregue às Irmãs Franciscanas para servir como casa regional. Neste ano foi construído o atual prédio do Noviciado e a antiga casa de formação serve para Aspirantes.

As primeiras Irmãs brasileiras.

Em 23 de outubro 1985 a primeira casa fora da diocese de Cruzeiro do Sul é aberta. A comunidade de três Irmãs brasileiras inicia a missão em Humaitá, Amazonas. – Casa Divina Misericórdia.
Esta casa fechou em 2005. Em 27 de fevereiro 1987 duas Irmãs partem para a missão em Apuí, Amazonas – Casa Imaculado Coração de Maria. Neste mesmo ano chega mais uma Irmã da Alemanha (Irmã M. Ursula).  Em 28 de fevereiro 1988 teve início uma nova missão em Envira, Amazonas, com duas Irmãs – Casa Santa Teresinha. Em 1994 Neste ano as irmãs assumem os trabalhos no Educandário que antes eram administrados pelas Irmãs da Divina Misericórdia. A Casa Madre M. Anselma foi fundada no dia 01 de novembro 1994, e esta casa foi fechada no dia 05 de fevereiro 2017.

Desobrigas em 1981 – Pe. Jorge e Ir. Hilda.

Em 1995 Uma das Pioneiras – Irmã M. Henrietta volta para os EUA. Neste mesmo ano chega mais uma Irmã dos Estados unidos (Irmã Maria). Em 15 de fevereiro 1997 teve início a missão em Mâncio Lima – Casa Rainha do Universo. Em 1999 chega mais uma Irmã da Alemanha (Irmã M. Simone). No ano 2000 chega mais uma Irmã dos Estados unidos (Irmã M. Josefa).

No dia 12 de fevereiro 2001 começa-se uma nova missão em Guajará, Amazonas – Casa Nossa Srª de Guadalupe, esta casa foi fechada em 2017. Neste mesmo dia duas Irmãs partem para uma nova missão em Marechal Thaumaturgo. Em 22 de junho 2005 morre a primeira Irmã Brasileira – Irmã M. Caroline com 24 anos de idade e 7 anos de vida religiosa. Em 2010 foi aberto uma casa em Manaus para cuidar de Irmãs doentes e de servir de casa de “passagem” (esta casa já foi fechada). Em 07 de julho 2015 morre a segunda Irmã brasileira – Irmã M. Verônica com 53 anos de idade e 35 anos de Vida Religiosa.

Atualmente as irmãs Franciscanas do Mártir São Jorge, no Brasil estão presentes no Acre e Amazonas.

ACRE:

– Cruzeiro do Sul

  • Casa Regional,
  • Morro da Glória,
  • Lar dos Vicentinos,
  • Centro de Retiros N. Srª da Glória.

-Mâncio Lima

-Marechal Thaumaturgo

AMAZONAS:

-Apuí

-Eirunepé

-Envira

Facebook Irmãs Franciscanas do Mártir São Jorge
Portal Irmãs Franciscanas do Mártir São Jorge

 

Arquivo pessoal – Irmãs Franciscanas do Mártir São Jorge
Diocese de Cruzeiro do Sul