Ouça a Rádio Verdes Florestas

/
/
Dom Henrique Rüth, C.S.Sp – 1967/1988

Dom Henrique Rüth, C.S.Sp – 1967/1988

Compartilhar:

4.01.1913 Essen –Steele – +23.10.2006 Cruzeiro do Sul

Dom Henrique Rüth – ou: Dom Henrique, como as pessoas na diocese de Cruzeiro do Sul o chamaram simplesmente e com veneração aquele que foi considerado pai espiritual de todos, nasceu no dia 04 de janeiro de 1913 em Essen-Steele como filho do carteiro Josef Rüth e sua esposa Margarethe.

Ele frequentou lá o primário e secundário, fez seus primeiros votos na Congregação do Espírito Santo no dia 13 de abril de 1935 em Heimbach/Renânia e realizou os estudos maiores seminarísticos na Faculdade espiritana em Knechtsteden onde foi ordenado antecipadamente sacerdote no dia 05 de novembro de 1939, por causa do início da II Guerra Mundial.

Chamado ao serviço militar em 1940, serviu como socorro enfermeiro na frente oriental, foi condecorado e promovido segundo-tenente tornando-se prisioneiro na Rússia.

Relativamente cedo foi liberado e passou para a casa da congregação em Donaueschingen, onde trabalhava como professor de alemão e línguas antigas. Logo na primeira ocasião, foi destinado para o trabalho missionário no Brasil, fez de navio a travessia, chegou em Cruzeiro do Sul dia 24.05.1949 e começou logo seu trabalho missionário em Humaitá, atual Porto Walter.

Naquela comunidade religiosa de ca. 8.000 almas tinha trabalhado durante toda a II Guerra Mundial, o Pe. Luis (Aloysio) Vorstheim, que agora doente foi obrigado a voltar à Alemanha em 1951. Pe. Henrique recebeu como ajudante em 1952 o padre Luis Herbst.

Ambos fizeram a pé e de canoa incansavelmente inúmeras viagens missionárias pelo interior do imenso inferno verde, visitando seringueiros e índios. Pe. Luis se tornou seu sucessor quando, em 1964, Pe. Henrique se tornou superior do distrito espiritano do Alto Juruá. No dia 01 de julho de1966, Pe. Henrique foi nomeado pela Santa Sé bispo nominal de Leptiminus e coadjutor de Dom José Hascher, com o direito de sucessão para a Prelazia do Alto Juruá.

A sagração episcopal se realizou no dia 02 de outubro de 1966 em Essen/Alemanha, pelos bispos Hengsbach, Angerhausen e Kelleter, CSSp. Quando no dia 02 de fevereiro de 1967 Dom José Hascher emeritou-se, dom Henrique assumiu sozinho a responsabilidade pela prelazia que com seus cerca 125.000 km² é territorialmente enorme, mas com então cerca 150.000 habitantes era pouco povoada.

Com uma energia sem igual, transformou Cruzeiro do Sul num centro social e religioso florescente, preocupou-se da formação de professores e catequistas masculinos e femininos, procurou a ajuda de congregações religiosas – padres capuchinhos, irmãos maristas do ensino cristão, irmãs da Divina Providência, de Nossa Senhora, irmãs franciscanas do Martir São Jorge de Thuine ou Alton respetivamente, da Sagrada Eucaristia de Independence, em suma: padres, irmãos e irmãs provenientes da Alemanha, do sul do Brasil, dos Estados Unidos e da Itália,

Dom Henrique e São João Paulo

e não descansou antes de ter recebido como ajudantes sacerdotes “Fidei donum“ das dioceses alemães de Fulda, Colônia e Freiburg.

Ele construiu para eles e elas casas religiosas para a formação de vocações esperadas, idealizou escolas, uma casa de Vicentinos e um leprosário que se tornou modelo para outros nesta região e tinha uma importância primordial pelo fato que a hanseníase que antigamente tinha atingido quase a terceira parte da população local pouco a pouco foi vencida, e por fim praticamente desapareceu.

Dom Henrique impregnou todos os meios pessoais e financeiros para construir um Seminário Menor e Maior para a formação de um clero autóctone. Ele completou a construção da Catedral de Cruzeiro do Sul, obra começada no dia 10 de maio de 1957 por Dom José, construiu a casa dos Vicentinos e a Rádio ´Fundação Verdes Florestas´ para poder chegar ao rebanho espalhado na imensidão da mata amazonense e acreana.

Esta emissora se tornou um meio forte para informar os seringueiros a respeito de seus direitos e ajudar a criar um forte sindicado em defesa contra os abusos de seringalistas. – Desde 1966 Presidente eleito e reeleito das Obras Sociais e Educacionais da Prelazia do Alto Juruá. – Desde 1971 Presidente eleito da Sociedade Eunice Weaver de Cruzeiro do Sul. – Desde 1972 nomeado pelo Governo do Estado como Administrador da Colônia Ernani Agrícola.

Apesar deste empenho na construção de casas, capelas, igrejas, educandário leprosário … Dom Henrique jamais esqueceu-se de seus deveres de pastor do seu rebanho: Cada semana tinha na rádio o programa “Voz do Pastor“, visitou anualmente por menos duas viagens extensas os ribeirinhos ao longo dos rios no interior

Da mesma forma, era incansável em escrever à mão cartas e relatórios de estilo impressionante para os amigos e benfeitores na sua terra natal, nos Estados Unidos e na Europa que foram publicados em forma de livro de bolso com os títulos marcantes “Grito … – Vida … – Fogo … – Esperança … – do ou no Inferno Verde“. Estes livros abriram as mentes e os corações de um público entusiasmado pela ideia de uma igreja verdadeiramente missionária.

Depois de ter dirigido durante vinte anos a Prelazia e colocado os alicerces estruturais e materiais, a Santa Sé atendeu seu pedido e elevou no dia 25 de junho de 1987 a Prelazia para a ordem de diocese e nomeou dom Henrique como seu primeiro bispo diocesano.

Ao completar 75 anos de idade no dia 07 de dezembro de 1988, dom Henrique retirou-se das suas responsabilidades como bispo diocesano e entregou o báculo de pastor ao seu sucessor designado Dom Luis Herbst, que já desde 1967 tinha a função de vigário Geral e era a partir da sagração episcopal no dia 11 de novembro de 1979 seu coadjutor com direito à sucessão.

Dom Henrique passou seus últimos anos de vida, retiradamente e bem atendido pelo antigo sacristão e motorista Osmarino e pelas irmãs franciscanas num anexo do educandário, por Dom Henrique mantido e ampliado para os filhos de hansenianos.

Este educandário era sempre a menina dos olhos de Dom Henrique que gostava de olhar as crianças ardentemente amadas brincando nos momentos de folga nas gangorras e no gramado e os macaquinhos aparecendo numa pequena floresta adjacente.

Foi numa segunda-feira, dia 23 de outubro de 2006, pelas 17:10, que Dom Henrique adormeceu tranquilamente no seu apartamento. Seu enterro realizou-se no dia seguinte na Catedral de Nossa Senhora da Glória às 18:00 com uma participação impressionante da população de Cruzeiro do Sul.

Exatamente naquele dia chegou a nomeação de Dom Henrique como „Cidadão honorífico do Acre“ – “sic transit gloria mundi“ – “tão passageiro passa a glória do mundo.

– Fonte: Koren, pág, 108-109, n°70 – foto: Museu missiológico Cruzeiro do Sul.