Notícias da diocese › 14/05/2020

Celebrando Maria na Diocese de Cruzeiro do Sul

Por: Ananias da Silva Araújo Neto e Thalia Adrine Bezerra Lima

Novenário de Nossa Senhora da Glória em Cruzeiro do Sul

Novenário de Nossa Senhora da Glória em Cruzeiro do Sul 2019

A devoção popular a Nossa Senhora, na diocese de Cruzeiro do Sul, é intensificada durante o mês de maio, conhecido como mês Mariano. Nesse período, o Papa Francisco nos sugere que voltemos mais os nossos olhares àquela que foi escolhida por Deus para dar à luz o seu Filho Unigênito. A oração do Santo Rosário, por exemplo, nos ajuda a ficarmos mais próximos do amor de Cristo.

O Catecismo da Igreja Católica, no parágrafo 971, a respeito da devoção à Maria Santíssima, afirma:

Todas as gerações me chamarão bem-aventurada” (Lc 1,48): “A piedade da Igreja para com a Santíssima Virgem é intrínseca ao culto cristão”. A Santíssima Virgem ‘é legitimamente honrada com um culto especial pela Igreja. Com efeito, desde remotíssimos tempos, a bem-aventurada Virgem é venerada sob o título de ‘Mãe de Deus’, sob cuja proteção os fiéis se refugiam suplicantes em todos os seus perigos e necessidades (…) Este culto (…) embora inteiramente singular, difere essencialmente do culto de adoração que se presta ao Verbo Encarnado e igualmente ao Pai e ao Espírito Santo, mas o favorece poderosamente”; este culto encontra sua expressão nas festas litúrgicas dedicadas à Mãe de Deus e na oração Mariana, tal como o Santo Rosário, “resumo de todo o Evangelho”.

O ardor Mariano em nossa diocese apresenta-se de maneira explícita nos nomes da nossa Catedral e de algumas de nossas paróquias, conforme aparecem a seguir: Catedral Nossa Senhora da Glória, Paróquia Imaculada Conceição, Paróquia Nossa Senhora Aparecida, Paróquia Nossa Senhora das Dores, Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Paróquia Nossa Senhora do Rosário e em várias comunidades paroquiais.

Procissão Comunidade Nossa Senhora de Fátima 2020

Procissão Comunidade Nossa Senhora de Fátima 2020

A maior atitude de amor a Maria, em nossa diocese, acontece no novenário em honra a Nossa Senhora da Glória, quando, no decorrer das noites de novenas, missas, orações, agradecimentos e grande louvor, somos contagiados de alegria por juntos amarmos a mãe do nosso Senhor, a nossa intercessora e serva fiel ao Pai. O momento mais esperado da festa é o dia 15 de agosto, ocasião em que, de costume, reúne-se grande número de devotos dispostos a fazer promessas e comemorar a assunção de Nossa Senhora ao céu, a Virgem que foi escolhida por Deus para, além de ser a mãe de Jesus, ser também a nossa mãe na Fé.

Os vários títulos dedicados a Maria, nossa mãe, têm fundamento nas Sagradas Escrituras, onde ela apresentou características admiráveis, dentre elas: mulher silenciosa e humilde, quando o anjo Gabriel lhe anunciou que ela havia sido escolhida para dar à luz o Emanuel e assim respondeu: “Eis, aqui, a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo a deixou” (Lc 1, 38). Foi intercessora quando faltou vinho, e a mãe de Jesus lhe disse: “Eles não têm mais vinho!” (Jo 2, 3), evidenciando seu olhar feminino e materno, atento às necessidades dos seus filhos e sugerindo a Jesus o milagre da transformação da água em vinho; e corajosa mesmo diante dos sofrimentos, quando se manteve de pé, diante do Calvário, na Paixão e Crucificação do nosso Salvador “A mãe de Jesus, a irmã da mãe dele, Maria de Cleófas, e Maria Madalena estavam junto à cruz.” (Jo 19, 25).

Ainda em nossa diocese, as pastorais, serviços e movimentos levam muitas vezes a devoção mariana no próprio nome, como: Legião de Maria, Terço dos Homens, Chama de Amor, Congregação das Irmãs de Nossa Senhora, Congregação das Irmãs Dominicanas de Santa Maria Madalena e outros. Alguns serviços não levam a devoção mariana em seu nome, mas a carregam em suas ações, como, por exemplo, o movimento Infância e Adolescência Missionária, que reza uma Ave Maria diariamente por todas as crianças do mundo.

Dentre as pessoas que caminham com grande devoção a Maria, conhecemos a dona Rosalva, da Legião de Maria, em Cruzeiro do Sul, que conta estar nessa caminhada há 40 anos. Ela orienta e forma grupos legionários em toda a nossa diocese, com exceção do município de Jordão. Fica muito feliz por muito poder contribuir com a missão, mas, em meio a esse período de pandemia da COVID-19, sente falta das atividades que eram realizadas normalmente.

Que nesse mês de maio, sigamos os exemplos de Maria para despertarmos em nós atitudes semelhantes às da mãe do nosso Salvador!

Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós!

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.



X